A incrível história do Lula e da sua Acorja

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , , , , ,

ATÉ COMPLETAR 50 ANOS, em 2004, o pernambucano Luiz Holanda Filho, o Lula, era um perfeito sedentário. Com 1,64m, seus 83K à época faziam dele um “obeso classe 1”, na tipificação da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Para Lula, bola era “quadrada” e ir ao vizinho parque da Jaqueira, no Recife, era o máximo de atividade física que se permitia.

Lula frequentava o parque, vale dizer, apenas para alegrar seus filhos pequenos.

Foi quando a demissão no banco em que tinha posição executiva e um início de depressão mudaram sua relação com a atividade física.

****************************

Corta para 2017, em que Lula, já bastante conhecido como fundador da Acorja, uma das associações de corredores mais famosas do Brasil, se não a mais, bate seu recorde em participações em maras e ultramaratonas num único ano: 21.

Foi quando o agora consultor aposentado deu-se conta de que se aproximava rapidamente da marca mítica de 100 provas de 42K ou mais em sua curta carreira de corredor.

Marca que ele pretende bater no ano que vem, em 10 de março, na mara das Praias, em Recife, que ele e seus amigos da Acorja organizam.

Acorjeanos unidos/Foto: Lula Holanda

Entre as primeiras caminhadas na Jaqueira e a conclusão de sua maratona número 1, Lula precisou de cerca de um ano.

O cascalho transforma a vida das pessoas, e o exemplo de Lula nem é o mais notável. Apesar de ter vencido desafios que pouca gente se dispõe a enfrentar– como os 154K da Rio 24 Horas, em que é preciso dar 386 (!) voltas na pista de atletismo da Escola Naval, ou os 90K da famosa ultra sul-africana Comrades –, notável mesmo é o grupo que ele criou.

A Acorja, Associação dos Corredores da Jaqueira, é uma potência. Impossível não trombar com alguém vestindo a famosa camisa (o “manto”) azul em alguma mara ou ultra do Brasil e do mundo. O grande fetiche é mesmo a Comrades.

Este ano, foram à África do Sul dez “acorjeanos”.

Cruzando o Capiberibe (ou seria o Beberibe?)

Os corredores do grupo treinam no parque da Jaqueira, cuja pista tem apenas 980m de extensão.  Correm lá às terças e quintas, às 5h10 da matina e às 19h30. A tigrada gosta de dar volta: perfaz de 12K a 15K.

ESPECIAL MARA NILSON LIMA – ENTREVISTAS SUADAS

NILSON LIMA, O HOMEM DAS DUZENTAS E TANTAS MARATONAS… E CONTANDO

MARATONA, O FETICHE

A COMRADES VERDE-AMARELA

O SEGUNDO TREINO JQC NO RECIFE

BALANGANDO O SALSICHÃO EM AREIAS NORDESTINAS

CAETANO VELOSO E A CORRIDA

No sábado tem o longão – de 22K a 35K –, mas aí a Jaqueira é apenas o ponto de encontro e largada.

A associação não têm treinadores e não monta planilhas, e muitos acorjeanos, caso de Lula, apenas correm. Necas de funcional ou musculação.

No que talvez seja o maior feito da associação, realizam anualmente duas provas que se tornaram tradicionais no calendário de corridas brasileiro.

A maratona das Praias vai para a nona edição em março de 2019. Em 2018 foram 450 corredores que se reuniram na Jaqueira, cruzaram o Recife Antigo, Pina, Boa Viagem, Piedade e ganharam o litoral sul até a Enseada dos Corais.

É nesta prova, ano que vem, que Lula pretende chegar à marca das 100 maras e ultras. Foi por isso, aliás, que ele pôs o pé no freio em 2018, participando de “apenas” três dessas provas de longa distância.

Esteve na Nilson Lima, em Uberlândia, em abril, viajou logo depois para o Rio – onde correu a meia no sábado e os 42K no dia seguinte –, e em seguida cacifou a Muralha, a mara que escala o paredão da Mantiqueira em Visconde de Mauá.

A outra prova que a Acorja realiza é a Ultra do Frio, em agosto, um 100K entre Garanhuns e Caruaru, ou vice-versa.

A alternância é anual, na mesma dinâmica da Comrades, inspiração explícita da prova agrestina, que em 2019 vai para sua oitava edição. Ambas as corridas têm altimetria semelhante, segundo Lula, e asfalto como superfície exclusiva.

********************************

Muita gente vê a maratona como metonímia perfeita de atividade física extenuante, mas a história de Lula é mais uma, apenas mais uma, a comprovar que o bicho não é tão feio quanto parece.

 

 

 

/ 975 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 9 (4 em SP, 2 Uphill Rio do Rastro, Rio, UDI e uma na Nova Zelândia), com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

5 Comentários

  1. Avatar
    Carlos Azevedo

    Excelente resgate histórico do nosso amigo Lula Holanda. Grande maratonista e tive o prazer de correr com ele a primeira maratona em 2005, Nova York em 2007 e Atenas em 2008. Lula e sua ACORJA, dignificam Pernambuco e o Brasil nos eventos relacionados à corridas de longas distâncias. Parabéns pela reportagem!

    Responder

  2. Avatar
    Luiz Holanda

    Muito obrigado amigos pelo elogios .

    Responder

  3. Avatar
    Almir Duarte

    Um fenômeno de atleta, um líder espetacular, de harmonia e principalmente MUITA ALEGRIA! Sabe tudo de corridas, de organização, de ser o principal organizador da Maratona das Praias e 100 km do Frio junto com o seu filho, corredor Fera Anderson.

    Responder

  4. Avatar
    Moacir Cícero

    Boa tarde, em primeiro lugar gostaria de deixa meus parabens pra essa equipe sou fã… Bom gostaria de saber como faço para adequirir a camiseta da equi

    Responder

  5. Avatar
    marcia maria da silva ferreira

    quanto tempo existe a corja muito legal esse grupo parabens

    Responder

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.