A maratona mais gelada do Brasil

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , ,

OS MARATONISTAS BRASILEIROS não costumam olhar para o céu apenas para ver se vai chover, como Nelson Rodrigues vivia a dizer de Dom Helder Câmara, mas escarafuncham os sites de previsão do tempo para ver se o calor vai dar um tempo lá pela terceira hora da prova.

Na Mara de SP deste ano, completada por este jornalista que corre a 3:34, o sol foi impiedoso, com a temperatura batendo na casa dos 30 graus. Verdadeiros herois da resistência, alguns colegas – veja relatos no link abaixo – levaram mais de 5 horas para concluir a prova, o que significou correr a manhã inteira e, forçando um pouco, ainda adentrar o horário da sesta.

A FORNALHA DA MARA DE SP

HEROIS DA RESISTÊNCIA NA MARA DE SP

CONSIDERAÇÕES SOBRE A SESTA

SOLONEI, O MARATONISTA QUE GOSTA DE CALOR

Mas quem enfrentou a 33ª edição da Mara de Porto Alegre, ontem, deve ter achado que estava em Boston ou Nova York, ou melhor dizendo, no Círculo Polar Ártico.

Os cerca de 7 500 inscritos (participantes também das provas de meia maratona e de 10K, 5K e 3K) tiveram de alinhar às 7 da manhã sob frio de 2º.

icemarathon

O mineiro João Marcos Fonseca, o João Gari, repetiu 2011 e ganhou a prova principal, fechando os 42K em 2:21, segundo o jornal Zero Hora. Entre as mulheres, quem levou foi Valquíria Oliveira, de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, onde o frio deve assustar um pouco mais do que na capital gaúcha.

João Gari, como o penapolense Solonei Silva, que vai estar nos Jogos do Rio, foi durante muitos anos coletor de lixo, daí seu nome.

O colunista Tulio Milman, do jornal Zero Hora, que correu a meia e gostou do percurso e da infra-estrutura da prova, disse, aparentemente sem querer ser irônico, que “não precisava mergulhar os copos [d’agua, da hidratação oficial] no gelo quando a sensação térmica batia no zero grau”.

Voltas que o mundo dá. Em São Paulo e no Rio todos costumamos sofrer lá pela terceira hora da prova, quando praticamente todo o gelo dos postos de hidratação já derreteu.

/ 791 Posts

Paulo Vieira

Paulo Vieira corre pelas ruas de São Paulo desde os 15 anos e pelo mundo desde os 32, quando passou uma temporada em Londres. Adora correr em estradas rurais, descobrir novos caminhos e ir e voltar do Pico do Jaraguá. Mas agora anda frequentando também treinos no Parque Villa-Lobos às 7 da manhã com seu tênis minimalista - desde que a Lusa não jogue na véspera.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).