O IronMan em São Paulo

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , , , ,

ERA DOMINGO DE ENEM, e o horário do 70,3, o “meio” IronMan, que debutou em São Paulo anteontem, teve de ser antecipado para às 5 da manhã.

Nenhum problema para os 1450 competidores, que para treinar já precisam acordar com as galinhas. Menos ainda para o trânsito da cidade e da Marginal Pinheiros, interditada em longos trechos para dar lugar aos 90K do ciclismo.

CARLOS GALVÃO FALA SOBRE A “FAMÍLIA” IRONMAN

O IRONMAN E O BRASIL REAL

IRON FAZ DA ILHA DA MAGIA A DA ENDORFINA

CARLOS GALVÃO REPERCUTE O REPÓRTER PIPOCA

A natação, na Raia Olímpica, começou com a noite virando dia, e a área de transição, dentro de Cepeusp, o famoso clube da USP, funcionou satisfatoriamente.

Carlos Galvão, sócio da Unlimited Sports, detentor da franquia IronMan no Brasil e organizador das provas aqui, celebrou o bom resultado do evento.

“Foram cinco anos planejando o evento em São Paulo, o que tem de fazer para o próximo ano, e eu tenho uma lista de 30 melhorias, é ajuste fino, coisa comparável a cortar a unha”, disse por telefone a este pasquim.

Aérea da prova que abriu o 70,3 de SP, o 1,9K de natação na raia olímpica/Foto: Unlimited Sports

Em 2020, a prova paulistana será em 6 de setembro, e as inscrições devem começar – e terminar – nas próximas semanas. Para a edição de 2019 foram precisos apenas 6 dias para as vagas se encerrarem.

“Em 2020 a prova vai ser em véspera de feriado, São Paulo vai estar mais vazia, e boa parte dos competidores vem de fora.”

Galvão considerou a largada às 5 da matina uma “grata surpresa” e vai manter mais ou menos o horário. Como em setembro o dia nasce mais tarde, e o organizador quer algo de luz natural no início da competição, em 2020 a tigrada irá largar às 5h30.

Galvão quer tentar melhorar o itinerário do ciclismo, que teve alguns “zigue-zagues” indesejáveis. Já os 21K da corrida devem ser em 2020 exatamente onde foram anteontem, em idas-e-voltas apenas pela avenida Professor Mello Moraes, a famosa avenida da raia olímpica.

A área de transição para as bicicletas dentro da pista de atletismo do Cepeusp

“Foi intencional, não queria colocar os atletas em subida, como a do Cavalo, nem queria distanciá-los muito do público.”

Galvão celebra os de “4 a 5 atendimentos médicos”, todos ocasionados por quedas de bike e que não ensejaram remoções a hospitais. Não houve qualquer ocorrência na raia – a natação é sempre o seu ponto de maior preocupação.

Quanto ao envolvimento da cidade com a prova, que para este editor foi menor ainda do que nas já combalidas maratonas de São Paulo, o organizador é menos cético. “Até umas 9h30 a USP estava incrível, com 7 mil pessoas lá dentro, famílias, bebês.”

Em 6 de setembro de 2020 a USP volta a ser a Jurerê paulistana.

 

/ 955 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 9 (4 em SP, 2 Uphill Rio do Rastro, Rio, UDI e uma na Nova Zelândia), com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.