A corrida virtual, antes e durante o #ficaemcasa

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , , , ,

EM OPIÁRIO, FERNANDO PESSOA, sob a pena de seu heterônimo Álvaro de Campos, diz: “É antes do ópio que minh’alma é doente”. A continuação do poema é sublime, consoante com muito que escreveu o poeta. A primeira estrofe segue desta maneira: “Sentir a vida convalesce e estiola / E eu vou buscar ao ópio que consola / Um Oriente ao oriente do Oriente.”

Usar a abertura do Opiário para dizer que é antes da pandemia que o mercado de corridas virtuais é sadio é um verdadeiro disparate estilístico, mas venho aprendendo com os ideólogos da economia digital que é preciso valorizar o erro, e, por tabela, suponho, os disparates.

É antes da pandemia que a 99Run, do simpático paulistano Daniel Pawel,  está viva e chutando. Fundada já há quatro anos inicialmente com o nome Maratona Virtual e transformada em “plataforma” e rebatizada em 2019, conta hoje com uma base de 100 mil clientes, segundo me disse ao telefone Pawel, empresário com experiência no e-commerce.

Definições necessárias: a) plataforma: quando a empresa passa a organizar também eventos de terceiros, não apenas proprietários; b) a base de clientes inclui todos os cadastrados, incluindo muitos que ainda não investiram um único real em qualquer desafio.

E o que seria uma prova virtual? Grosso modo, é aquele desafio proposto no aplicativo da empresa que, mediante a inscrição e o pagamento de um valor determinado, vale uma medalha (entregue na casa do cliente). Para isso, o “atleta” precisa atestar que de fato correu – ou nadou ou pedalou; apesar do nome, as três modalidades do triatlo estão contempladas nos desafios da 99run.

O atestado, a prova de que o atleta fez o desafio, pode ser o registro de um app como Strava (que o app da 99 lê automaticamente; no caso de outros apps de esportes, é preciso tirar uma foto da tela mostrando tempo e distância e a enviar para a 99).

São válidas também fotos de relógios de pulso e dos painéis da esteira ou da bicicleta ergométrica da academia ou do condomínio. Distância e tempo são as informações exigidas pela 99.

***********************************************

Não há corridas em tempo real, como nos eventos tradicionais. O atleta se inscreve e tem um certo prazo para executar sua tarefa – o período mínimo são as 24 horas de um dia determinado. Pawel disse que ganha popularidade o desafio em que o organizador decide de supetão, num período conhecido previamente, de dez dias, por exemplo, que o dia da prova é justamente aquele.

Embora exista um ranking e o atleta possa inscrever seus tempos nesse ranking, a principal motivação do corredor virtual, segundo Pawel, é a medalha. Há provas que dão direito ainda a kits com camiseta, mas o mais popular e barato é apenas a alternativa “só medalha”. O frete é a principal variável no custo do serviço, e a medalha pode chegar a São Paulo (capital) no mesmo dia.

Eis alguns desafios ora em curso. O Run Burger, para corridas de 5K, 10K ou meia maratona, tem inscrições desde R$ 38,90 (apenas a medalha; frete não incluso); o kit mais caro, de R$ 119,90, tem a medalha, uma caneca e uma camiseta; frete não incluso.

MARATONA, O FETICHE

QUERO FICAR NO TEU CORPO FEITO TATUAGEM

CORRER EM ESTEIRA VALE?

Há um desafio com parte da renda revertida em equipamentos para o Hospital São Paulo. O “Juntos contra o corona” parte de R$ 59,90 (é o “kit Ajuda”: medalha com frete coberto pela 99; doa três pares de luvas para a instituição).

A 99 ainda tem “circuitos” para os times paulistas Corinthians e Palmeiras com kits que têm medalha “giratória” com o escudo do clube, camiseta e caneca.

Embora a ausência de provas tradicionais nestes tempos sombrios do coronavírus tenha se tornado um grande período de oportunidade para a 99, é preciso dizer que os desafios dos “atletas virtuais” são, em geral, fora de casa. As provas são normalmente realizadas nas ruas ou nas academias, exceto por aqueles que têm esteira ou rolo de bike em casa.

“A gente não aceitava a corrida estacionária, porque correr da cozinha pra sala e vice-versa tem risco de lesão, força o tornozelo nesse circuito de ida e vinda, e o competidor ainda pode escorregar num azulejo. Mas agora mudamos o entendimento por ser um incentivo para o corredor não sair de casa”, diz Pawel.

Há uma maneira de baratear o valor da inscrição. Como o frete é determinante nessa conta, Pawel incentiva um atleta, em nome de um grupo de amigos, a comprar um lote de kits (ou medalhas). Centralizando a recepção dos kits ou medalhas num único endereço, o valor do frete sai muito mais em conta.

/ 978 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 9 (4 em SP, 2 Uphill Rio do Rastro, Rio, UDI e uma na Nova Zelândia), com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

Um Comentários

  1. Avatar
    Wilson Anzai

    Estamos organizando a Maratona Virtual NICO RUNNERS 2020 no dia 24/05/2020 que destinará o valor da inscrição TOTALMENTE para o Hospital São Paulo no combate a COVID-19. Será um corrida de siolidariedade aos colegas profissionais da saúde do HSP/ Escola Paulista de Medicina.

    Responder

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.