Treinando em casa

Paulo Vieira

Tag: , , , , , ,

ANTEONTEM MOSTREI AQUI COMO ALGUNS CORREDORES de cinco costados, como o recordista de maratonas Nilson Lima, o ultra Rosan Felipe e o venerável Wanderlei Oliveira estão fazendo para correr nestes tempos apocalípticos.

Hoje mudo um cadim o enfoque. Sabemos todos que o isolamento fez proliferar uma gigantesca quantidade de videoaulas, exibições no instagram, lives e quejandos oferecendo treinamento físico – e não só.

Há bastante altruísmo na iniciativa, um tanto de necessidade de se manter ativo e são numa situação em que nosso tempo parece ter se multiplicado e, como não, algum cálculo comercial.

A essa altura do campeonato, muita gente já fez sua própria curadoria, mas eu queria colocar minha colher também, embebendo aqui alguns materiais que encontrei.

De início, o professor de capoeira e condicionamento físico (alguém ainda se lembra dessa expressão?) Vinicius Heine, do Cepeusp, o agradabilíssimo Centro de Práticas Esportivas da USP, mostra alguns movimentos de ginga da capoeira que ele chamou de “básicos” – os não iniciados talvez discordem.

E aqui alongamentos, agachamentos e torsões, no primeiro vídeo de condicionamento físico “integrado”.

E aqui também o parceiro deste pasquim, o querido Darlan Duarte, fundador, CEO, CMO, COO e orientador pedagógico da assessoria esportiva Pacefit, produziu um e-book com diversas sugestões de exercícios para fortalecimento – e não só dos membros inferiores.

Se você não é muito chegado em afundo e, afe, burpee, eis a hora de tentar superar essa barreira.

Para baixar o e-book, basta publicar no site da Pacefit cinco linhas, se tanto, de dados pessoais.

Entra lá: https://dicasdetreino.pacefit.com.br/exerciciosdefortalecimento?utm_campaign=ebooks_pacefit_-_baixe_agora_-_meio_de_funil&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

Foto da home: Flickr

 

/ 966 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 9 (4 em SP, 2 Uphill Rio do Rastro, Rio, UDI e uma na Nova Zelândia), com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.