A grande corrida deste sábado

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , , ,

PODE PARECER PROVOCAÇÃO, mas a grande corrida deste sábado, 31 de agosto, não acontece no paredão da Serra do Rio do Rastro, mas num lugar muito mais urbanizado.

Minhocão, São Paulo.

Trata-se do  primeiro treinão #jqc @Saberbeber na pauliceia.

Vai ser às 9h, com percurso sugerido de ida e volta pelo Elevado Ilustríssimo Presidente João Goulart, que tem 7K nesse acumulado.

Mas a fita é “run as you wish”, se nego quiser fazer um 2K ou até mesmo uma meia, sê bem-vindo.

A medalha vai estar à espera em formato etílico no cool Armazém Garnizé, o bar na boca “Perdizes” do Minhocão que é a melhor adição à noite de São Paulo da última década.

Curiosamente, o sujeito que toca o negócio é catarinense, e já palmilhou aquele paredão entre Lauro Muller e Bom Jardim da Serra um par de vezes em busca do butiá que costumava colocar na caipirinha de cachaça de melaço.

O treinão, que vai ter aquecimento pilotado por educador físico da assessoria de corrida Pacefit, vai ser sucedido por degustação de cerveja Black Princess.

As inscrições infelizmente já se esgotaram, mas este pasquim irá transmitir o frege ao vivo pelo Instagram, a partir das 9h.

Será um piloto de “live streaming” para os demais treinões #jqc que acontecem pelo Brasil.

*****************

Com tudo isso, caso você tenha entrado aqui querendo saber das coisas lá pros lados de Sombrio, Ermo e Corvo Branco, leia a cobertura das edições 2017 e 2018 da Uphill nos links abaixo. A propósito: será que a frase “aqui se fabrica lendas” segue viva e chutando nessa concordância discorde?

ESPECIAL UPHILL – O VERDADEIRO NINJA

ESPECIAL UPHILL – UPS AND DOWNS

UPHILL 2018: ENTREVISTAS SUADAS

EDU OLIVEIRA, DA MIZUNO, EXPLICA A UPHILL

NINGUÉM VIRA NINJA POR CONCLUIR A UPHILL

DESCONSTRUINDO A MONTANHA

UPHILL 2017: ENTREVISTAS SUADAS

/ 950 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 9 (4 em SP, 2 Uphill Rio do Rastro, Rio, UDI e uma na Nova Zelândia), com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.