Para correr sem muvuca em Jurerê

Paulo Vieira

A CAPITAL DO TRIATLO NO BRASIL é Florianópolis, que recebe há 17 anos a única etapa do Ironman brasileiro, sempre em maio. Em 2017, Floripa foi cenário das quebras dos recordes mundiais feminino e masculino da competição.

E em Florianópolis tudo ocorre em Jurerê. É na sua praia de águas mansas que os competidores fazem os 3,8K no braço e nas ruas do bairro que completam os 42,2K da maratona. O pedal é bem mais longo, mas largada e chegada também se dão no famoso balneário do norte da ilha.

Digo tudo isso para comentar que a praia anda bem cheia nestes dias, e se você é daqueles que não conseguem deixar de fazer um cascalhinho – mesmo a 30 graus de temperatura média –, há um lugar em Jurerê que desconhece a muvuca.

O IRONMAN E O BRASIL REAL

A CORRIDA COMO SEU ÔNIBUS DE TURISMO PARTICULAR

CORRENDO NA BEIRA-MAR

Chama-se Canto do Lamin, e está mais para Canasvieiras, é verdade, mas tudo bem.

Sugestão: comece o cascalho no extremo oeste da praia, na altura do parador 12, e siga toda a extensão da praia, rumo leste. Fuja da areia utilizando as ruas paralelas à avenida dos Búzios, sempre vazias.

Vai ser difícil estar desse jeito/Foto: Tiago Dutra/Flickr
Vai ser difícil estar desse jeito/Foto: Tiago Dutra/Flickr

Ao final da Búzios – no começo dela, melhor dizendo –, fica a rua Jurerê Tradicional. Tome-a a direita, na direção contrária da praia e não a largue mais. Logo ela vai se tornar uma inesperada estrada de chão de cerca de 4,5K, pontuada por sítios e pequenas propriedades rurais.

O final dela já é no bairro de Canasvieiras, e você pode voltar a Jurerê pela estrada Tertuliano Brito Xavier, que liga os dois bairros, caso não queira correr pelo mesmo caminho.

Ela é bastante movimentada e estreita, por isso pondere bem antes de tomar a decisão.

Se retornar ao ponto de origem, na ponta oeste da praia, o cascalho terá cerca de 15K, uma São Silvestrinha particular sem muvuca nem pipoca.

 

 

 

Tagged: , , , , , , , , ,

/ 745 Artigos

Paulo Vieira

Paulo Vieira corre pelas ruas de São Paulo desde os 15 anos e pelo mundo desde os 32, quando passou uma temporada em Londres. Adora correr em estradas rurais, descobrir novos caminhos e ir e voltar do Pico do Jaraguá. Mas agora anda frequentando também treinos no Parque Villa-Lobos às 7 da manhã com seu tênis minimalista - desde que a Lusa não jogue na véspera.

Deixe seu comentário

* Campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.