Os 21K de Fernando de Noronha

Paulo Vieira

EMBORA DEVA SER MUITO MELHOR ESTAR DENTRO DA ÁGUA em Fernando de Noronha, a prova de 21K do arquipélago tem tudo para ser a mais bonita do país.

O Rio tem um visual absurdo, especialmente no início, entre Barra e São Conrado, a gente paga um pau na Beira-mar de Florianópolis, os dois faróis marcando largada e chegada em Salvador também são porretas, mas pensa: Noronha?

A prova acontece em 2 de dezembro, custa 650 pratas (sem contar o monte de taxas de preservação ambiental que há de se pagar) e é limitada a 350 ricaços. Outros 250 corredores podem se divertir na 8K, que ocorre concomitantemente.

Início e fim no porto de Santo Antônio, com ponto médio da região do mirante da praia do Sueste. Há alguns trechos em praia, como na Cacimba do Padre.

Não por acaso, o evento é organizado por uma operadora de turismo com sede na Vila Olímpia, em São Paulo, que tenta ganhar também nos pacotes para o arquipélago.

Este post pode soar um pouco fora do timing, dado que o evento só acontece daqui a cinco meses, mas receitas de bolo e versões de Camões também pareciam não fazer sentido naqueles tempos tristes.

MAIS CORRIDAS NO PARAÍSO: BALOUÇANDO O SALSICHÃO EM TAMBABA

MAIS CORRIDAS NO PARAÍSO: AFUNDANDO NAS DUNAS DE JERI

NORDESTÃO

CIRCUITO 4 CAPITAIS DO SUDESTE

DE FAROL A FAROL

A CORRIDA COMO SEU ÔNIBUS DE TURISMO PARTICULAR

A MARATONA DO RIO: DURA LEX, SED LEX

A MEIA MARA DE NOVA YORK: I DID IT MY WAY

A verdade é que este Embraer em que acabei de me aboletar me deixará em no máximo uma hora no aeroporto da Vila dos Remédios, então estão juntas a fome a vontade de comer – e já faço, destarte, um simulado do percurso.

Visu/Foto: Wikipedia
Visu/Foto: Wikipedia

Aceito, amáveis leitores, o duro trabalho de fazer essa cabeça-de-praia em Noronha. E como não há variação de temperatura na latitude zero (na verdade 3º50, você entendeu), correr sob os 25 graus previstos para as manhãs desta semana vão regular bem com dezembro.

O único problema para quem segue o ritual do carboidrato (not me!): em vez da macarronada, o jantar típico vai ter bolinho de tubarão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tagged: , , , , , , , , ,

/ 643 Artigos

Paulo Vieira

Paulo Vieira corre pelas ruas de São Paulo desde os 15 anos e pelo mundo desde os 32, quando passou uma temporada em Londres. Adora correr em estradas rurais, descobrir novos caminhos e ir e voltar do Pico do Jaraguá. Mas agora anda frequentando também treinos no Parque Villa-Lobos às 7 da manhã com seu tênis minimalista - desde que a Lusa não jogue na véspera.

Deixe seu comentário

* Campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.