Um número de peito para o pipoca

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , ,

COMO SE SABE, A PRINCIPAL ORGANIZADORA de corridas de rua do Brasil, a empresa Yescom, anunciou uma série de medidas para combater o “pipoca”, o sujeito que participa de provas sem pagar as de 100 a 150 pratas que são cobradas do incauto corredor amador à guisa de taxa de “inscrição”.

As medidas basicamente incluem um controle supostamente mais rígido de acesso às baias de largada e chegada. Só.

Conhecendo-se a desorganização quase proverbial dos eventos da empresa, que adora reunir provas de distâncias diversas num mesmo horário de largada, já se pode imaginar o sucesso do novo proceder, que terá seu primeiro grande teste neste domingo, na meia maratona de São Paulo.

Problema é que domingão o povo que disputa os 21K larga novamente junto com a tigrada dos 5K, e com 500 metros de percurso, nem isso, já há um retorno de 180 graus na avenida Arnolfo Azevedo.

Vai vendo.

PIPOCA

PIPOCA, A VISÃO DA YESCOM

PIPOCA, A VISÃO DO ORGANIZADOR

A NOITE MUITO NEGRA DA NIGHT RUN

DEVEMOS FALAR DA MORTE NAS CORRIDAS DE RUA?

É por isso que este pasquim vem a público sugerir uma nova abordagem da questão. Como no velho jargão do reggae: Legalize it! Ou no estilo João Doria: quer pixar, digo, grafitar, tem de ir ao grafitódromo. Quer pipocar, que vá pipocar oficialmente, com segurança e tranquilidade.

Já confeccionamos um lote de 10 mil números de peito (ou “bibs”, no jargão entreguista do meio) que sugerimos à Yescom comercializar por um valor simbólico – R$ 30, quem sabe (aí quinzão é nosso!).

Já reservou o seu?/Arte: Gesu Bambino
Já reservou o seu?/Arte: Gesu Bambino

O pipoca, dessa forma, geraria renda e seria facilmente localizável pela organização.

Poderia até integrar uma categoria própria, com premiação compatível com a renda auferida.

Resta saber se a ele seria vetada a água dos postos de hidratação. Afinal, ganha mais quem bebe menos água quente.

O único senão para a organização é que o pipoca deixaria de ser a Geni, o bode expiatório, a Dilma do mundinho das corridas de rua do Brasil, alguém que sempre pode ser responsabilizado pelo mau serviço oferecido aos pagantes.

E aí todos nós, cumpridores zelosos de nossos deveres de cidadão, teríamos um problema seríssimo com que lidar: quem malharíamos depois?

/ 828 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 6, com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

10 Comentários

  1. Marilei

    “Tigrada dos 5km”!!!!! Essa foi feia heimmm
    apaga que da tempo

    Responder

  2. renato mello

    Fácil saber quem malhar depois: os pipocas que vão invadir esta “categoria” sem pagar as trinta pilas! Pipocas da categoria pipoca, porque pipocar não é questão de falta de grana , mas sim de falta de caráter, ai meu amigo, difícil resolver.
    abs

    Responder

  3. EUGÊNIO AKIHIRO NASSU

    Mas você é favorável aos “pipocas” ?

    Responder

  4. Carlos Silva

    Caráter não tem nada a ver com pipocar cara, não gosto de correr na pipoca, mas chamar de mal caráter o cara que não quer pagar uma puta grana por uma corrida que nem é tão atrativa, tanto no percurso quanto no kit é pegar muito pesado.

    Responder

  5. Corn(Élio)

    O jornalista em questão correu no dia de seu aniversário na pipoca e postou enaltecendo o feito

    Responder

  6. Analu Yamamura

    Que tal abrir um abaixo-assinado para enviar a Yescom com a idéia?

    Responder

  7. Diceia Menezes

    Sensacional seu texto. Minha vontade era juntae uma galera e entrar com uma ação pra pegar meus 160 reais de volta, tamanha a revolta da Sao Silvestre. Ficou feio demais eles responsabilizarem os pipocas pela péssima estrutura no geral.

    Responder

  8. Ricardo

    Que ideia de jerico… experimente organizar uma corrida e depois conte como fez com os bandidos-pipoca.

    Responder

  9. Anderson Zacarias

    Nunca li um texto tão exdrúxulo vindo de um “Jornalista que corre.”.

    Responder

    • Paulo Vieira
      Paulo Vieira

      Como dizem por aí, “adoro”

      Responder

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.