Um treino de alta intensidade

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , , , , , ,

ESTÁ LONGE DE SER A QUESTÃO DO UNO E DO MÚLTIPLO, do mundo das ideias x a coisa em si. Na corrida, discutir se é melhor treinar volume (mais quilometragem de cascalho) versus esforço/variação de ritmo (tiros sucedidos de descanso) é hoje ocioso. Treinam-se as duas coisas e estamos conversados.

A ideia de que é preciso combater a homeostase, ou seja, que é fundamental não acostumar o corpo a uma situação fisiológica estável, virou canônica, tornou-se um princípio amplamente aceito.

Para fazer isso que os educadores físicos chamam de “treino de qualidade” usam-se em geral tiros (treino intervalado) e os exercícios de esforço (subida, pesos etc.)

urso

Não sou muito adepto de correr a 90% da capacidade cardiorrespiratória, mas não me furto a encarar subidas. De mais a mais, com 25K de serra do Rio do Rastro no horizonte seria um tanto leviano se não o fizesse. Mas reconheço que os 4,5K do Pico do Jaraguá perto desse desafio “uphill” de setembro próximo são um tanto quanto modestos.

A HOMEOSTASE EXPLICADA POR DANILO BALU

É PRECISO DAR LOGO UNS TIROS

A CORRIDA EVOCATIVA DO PICO DO JARAGUÁ

MARIO SERGIO SILVA E O TREINO LSD (LONG SLOW DISTANCE)

O INFERNO SÃO OS OUTROS

HIIT PARA CORREDORES

RIO DO RASTRO, 25K SÓ DE SUBIDA (E MAIS 17K SÓ PARA ESQUENTAR)

***************

Já vos pedi: não fazei o que digo, não fazei o que eu faço. Mas vai aqui uma sugestão de treinamento.

É que numa rodagem de uns 26-27K na quarta passada com Gesu Bambino, o angelical e famigerado personagem me apresentou seu amigo Rodrigo, um engenheiro mecânico que pega firme no cascalho.

E Rodrigo me contou que, em plena hora do almoço, faça sol senegalês ou chuva inglesa, lá está ele com uns camaradas dando tiros de 5,5K (em pace 4:15, por aí) em São Miguel, na Zona Leste de São Paulo.

E logo depois me sugeriu o seguinte plano de treinamento, que reproduzo aqui:

Numa rodagem de 50 minutos, 8 a 10 repetições do esquema abaixo:

3 min confortável

1 min em pace de “prova” (se você é maratonista ou faz os 21K, prefira esse pace ao de 10K)

1 min no pau, “deixando tudo” na pista, como o povo gosta de dizer.

A rapaziada mais condicionada pode adotar variações mais exigentes, do tipo

2 min confortável

1’30” pace de prova

1’30” deixando tudo.

É de bom alvitre lembrar que a) os resultados diferirão muito de seu vizinho para ti; e b) supõe-se que um destes treinos por semana já está de bom tamanho.

Mais importante: há que se gostar desse negócio. Se não, melhor pensar em subida ou treino funcional de alta intensidade (hiit).

 

 

/ 961 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 9 (4 em SP, 2 Uphill Rio do Rastro, Rio, UDI e uma na Nova Zelândia), com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.