Corridas pela inclusão

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , ,

Corri a Run the Night, prova noturna inteiramente dentro da USP, anteontem. Bati meu recorde pessoal  – ou personal best, no jargão entreguista – para os 21K. Sou um sub 1h40.

Mas isso importa nada. Importa nada porque o Iberê Dias levou dez meninos que estão sob sua responsabilidade na Vara da Infância de Guarulhos, meninos e meninas que conheceram a violência antes da ternura, que vivem situação de risco dentro de suas próprias casas, para correr na prova de revezamento lá na USP.

Foi mais um passo do projeto que ele batizou de “Sua que é sua”.

O outro fato que termina por transformar meu desempenho em assunto nenhum é a estreia do novo projeto do Ultraman, o “Maratonando com o MST”.  O jornalista Rodolfo Lucena fez sua primeira corrida com meninos e meninas do movimento, moradores do assentamento Boqueirão, no município de Santa Maria da Boa Vista, na região de Petrolina, Pernambuco.

Ultraman (de vermelho) e os meninos do assentamento Boqueirão
Ultraman (de vermelho) e os meninos do assentamento Boqueirão

É a melhor resposta que alguém pode dar – veja a preocupação dos assentados com a educação das crianças neste post – a um sujeito que correu ao meu lado por uns 500 metros. Infelizmente, não levava um fone de ouvido com um dos soundtracks do JQC, e acabei ouvindo o que o infeliz disse, talvez ecoando a voz mais do que estúpida de um certo setor da sociedade. Aquela conversa de “se eu fosse fazendeiro, metia bala em todos do MST”.

Inclusão social, mobilidade social, oportunidades universais, o que será que o colérico corredor teria a dizer sobre esses temas?

Por sorte, há Rodolfos e Iberês do outro lado da trincheira.

/ 925 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 7 (Sp, Rio do Rastro, Rio, UDI e uma na Nova Zelândia), com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

Um Comentários

  1. Luiz Antonio del Tedesco

    No dia em que o Paulo Vieira contratar a Siri para dar voz a seus posts aqui no blog eu passo a correr ouvindo-o/a em todos os meus micropercursos.
    Eita cabra bão….

    Responder

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.