Atalla fala

Paulo Vieira

O educador físico Marcio Atalla não está preocupado com overtraining, lesões de quem se exercita sem cuidado ou coisas do tipo. Ele quer falar para as massas. E como as massas não se mexem, ele quer fazê-las se mexer.

Famoso pelo quadro Medida Certa, em que celebridades acima do peso se submetiam a um conjunto de exercícios físicos e a uma alimentação mais saudável, ele deu uma palestra ontem na Run Base da Adidas. O JQC esteve lá e viu Atalla usar de seu ferramental midiático para convencer os cerca de 40 espectadores a se mexer.

Ele quer que o Brasil se mexa/Foto:  Reprodução-BemStar
Ele quer que o Brasil se mexa/Foto: Reprodução-BemStar

Não que precisasse, pois quem frequenta a Run Base já se mexe de velho.

O rebanho de Atalla está seguramente num lugar muito longe da USP, mas entre palavrões e indiscrições de celebridades (“Ganhei do Ronaldo no tênis de 6×0 6×1”, disse, aproveitando uma deixa sobre tecnologia e Apple Watch) e uma parada teatral para atender o telefonema de um tal Menotti – seria o tabagista técnico da seleção argentina de 1978? –, ele disse as seguintes regrinhas, que me pareceram de bom alvitre para a redação deste post.

– Prefira comer alimentos in natura. Nos anos 80, os brasileiros comiam 70% de alimentos in natura, segundo dado que citou. Hoje, 70% da nossa dieta é oriunda de alimentos industrializados. Hora de reverter isso.

– Quem faz atividade física “não programada” tende a colher melhor benefício do exercício. Por atividade física não programada entenda-se subir escadas na estação de metrô, parar o carro mais longe do destino, não usar o carro se possível etc. Em suma, colocar alguma atividade física na rotina normal e cotidiana de deslocamento.

– Por oposição, quem não se exercita e passa a frequentar academia tende a sair mais depressa da atividade física. “A academia é um ambiente agressivo, hostil, um lugar onde quem está acima do peso ou fora de forma não se sente à vontade.”

– As crianças brincam muito pouco hoje em dia no Brasil, e elas estão começando a padecer de problemas próprios do sedentarismo (diabetes, colesterol alto, obesidade). O Brasil, segundo Atalla, é o país onde a criança fica mais horas diárias na frente da tela de um dispositivo eletrônico.

– Quem dorme menos de seis horas diárias fica mais vulnerável a diabetes, cardiopatias e problemas renais; já quem dorme de 6 a 9 horas diárias tende a produzir mais os hormônios grelina e leptina, de papel importante na sensação de saciedade.

– Como a mera manutenção da massa muscular exige uma queima calórica importante, manter os músculos, que tendem a diminuir a partir dos 30 anos, é uma ótima maneira de controlar o peso.

 

Tagged: , , , , , , ,

/ 712 Artigos

Paulo Vieira

Paulo Vieira corre pelas ruas de São Paulo desde os 15 anos e pelo mundo desde os 32, quando passou uma temporada em Londres. Adora correr em estradas rurais, descobrir novos caminhos e ir e voltar do Pico do Jaraguá. Mas agora anda frequentando também treinos no Parque Villa-Lobos às 7 da manhã com seu tênis minimalista - desde que a Lusa não jogue na véspera.

Deixe seu comentário

* Campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.