Pedal em Campinas

Paulo Vieira

Tag: , , , , , , , , ,

Não paro de me surpreender com o empenho das pessoas em participar de eventos esportivos coletivos. Esquema união faz a força – e destrói o superego.

No próximo 13 de dezembro, sábado,em Campinas, por exemplo, há uma nova edição do Rossi 5 Hours Bike Day, evento coletivo de spinning que vai se tornando tradicional na cidade.

Ele acontece desde 2003.

A união destrói o superego

Vocês não estão vendo, mas tem uma linda joaninha subindo pela lateral do notebook.

São 100 bicicletas colocadas uma ao lado da outra e comando do professor Joaquim Germano, pioneiro da modalidade, com seus blue caps. Cada grupo pedala por uma hora, das 3 da tarde às 8 da noite.

O legal é que, em vez de ser numa sala fechada de academia, o evento acontece no heliponto do Vitória Hotel Concept, com bonita vista da cidade.

A joaninha tem o “casco” todo marrom, numa tonalidade bem anos 70, bem figurino de “Trapaça”. Só de pensar na Jennifer Lawrence nesse filme… deixa pra lá.

Bem, ao que interessa: temos dois convites para você participar desse evento, sempre muito disputado. Se você é de Campinas e tem muita vontade de estar lá, não sofre de vertigo, escreva hoje, só hoje, hoje, se me faço entender, para jornalistasquecorrem@gmail.com.

Basta uma única frase, mas uma frase que deixe claríssimo que você quer porque quer esse boi.

De todo modo, todos estão convidados a participar. O evento é aberto para quem cacifar R$ 120. A arrecadação vai para o Grupo Primavera, de Campinas, que ajuda meninas carentes. Mas as vagas são limitadas. Veja no noblu.com.br ou pelo telefone (019) 3295-8981.

A joaninha desceu até o F11, mas subiu rapidinho. Prefere o heliponto ao note ao teclado.

 O que falamos quando falamos de bicicleta aqui, aqui, aqui e aqui.

 

/ 828 Posts

Paulo Vieira

Influenciado pelo velho “Guia completo da corrida”, do finado James Fixx, Paulo Vieira fez da calça jeans bermuda e começou a correr pela avenida Sumaré, em São Paulo, na adolescência, nos anos 1980. Mais tarde, após longo interregno, voltou com os quatro pés nos anos 2000, e agora coleciona maratonas – 6, com viés de alta – e distâncias menos auspiciosas. Prefere o cascalho de cada dia às provas de domingo e faz da corrida plataforma para voos metafísicos, muitos dos quais você encontra nestas páginas. Evoé.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.