Elisabete Pacheco, da Globo News, fala sobre sua preparação para a São Silvestre

Julia Zanolli

Tag: ,

A São Silvestre é uma corrida desafiadora não só pela temida subida da avenida Brigadeiro Luiz Antônio, região central de São Paulo, nos quilômetros finais da prova. Em meio à comilança de fim de ano e os planos para 2015, é também um verdadeiro teste de determinação.

A jornalista Elisabete Pacheco, da Globo News, decidiu encarar a bronca no dia 31 de dezembro. A preparação incluiu um trabalho de consciência corporal com o coreógrafo Ivaldo Bertazzo e disciplina nos treinos.

Mara Luquet, da Globo News, outra que foi abduzida pela corrida

Há alguns meses conversamos com Elisabete sobre corrida, a profissão e qualidade de vida (confira aqui). E, na véspera da prova, ela nos conta como andam os preparativos para o grande dia.

Inscrição confirmada e força nos treinos de subida
Inscrição confirmada e força nos treinos de subida

Jornalistas Que Correm Como foi seu treinamento nas semanas que antecederam a prova?
Elisabete Pacheco  Retomei os treinos de corrida em 16 de dezembro, depois de um mês me recuperando de duas hérnias de disco na cervical, que descobri por acaso. Mas vamos em frente.  No retorno, fiz 5 K na areia fofa pra treinar os músculos para as ladeiras. Os cinco quilômetros finais da São Silvestre são de subida, já contando com os 2K da Brigadeiro.

JQC Qual é sua expectativa para a prova? O que seria um resultado bom para você?
EP Um bom resultado é terminar correndo. Minha velocidade média é de 8km/hora. O plano B é terminar a prova caminhando (risos).

JQC Você pretende passar o ano novo por aqui?
EP Sim, até porque estou de plantão. [Todo nosso apoio aos colegas que vão trabalhar no feriado. Força, galera!]

JQC Muita gente diz que a São Silvestre é quase uma “purificação”, uma limpeza da alma para começar o ano novo. Para você tem esse significado?
EP Para mim a São Silvestre  é sinal de superação dos meus próprio limites. Fumei por 20 anos e  parei há sete. A corrida me fez largar o vício, me deu qualidade de vida e me faz ter muito orgulho de mim mesma. Não há idade pra começar e não importa o motivo… Basta um tênis. Só depende da gente calçá-lo!

/ 219 Posts

Julia Zanolli

Julia Zanolli começou a correr em nome do bom jornalismo quando foi trabalhar na revista Runner’s World sem entender nada do assunto. A obrigação virou curtição, mesmo depois de sair da revista. Se livrou do carro para poder andar a pé pela cidade, mas é fã assumida de esteira. Prefere falar de comida do que de nutrição e acha que ter tempo é muito melhor do que matá-lo.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado ou compartilhado e os campos obrigatórios estão marcados com asterisco (*).