O que você precisa saber para comprar um tênis minimalista

Julia Zanolli

O princípio dos tênis minimalistas é bastante simples: o pé pode fazer o serviço melhor do que qualquer EVA. Mas como não somos todos macacos e usamos sapato desde a mais tenra idade,  o corpo vai perdendo a capacidade de suportar o impacto da corrida do jeito que deveria.

Por isso, o mais importante para quem quer começar a usar esse tipo de tênis é fazer uma transição gradual. Gradual não é estrear o tênis em um treininho de 5K, colega. É baby steps, mesmo. Desaquecer com ele por uma semana, usar um pouquinho mais de tempo na outra…

Quem usou tênis tradicionais a vida toda não tem “condicionamento” nos ossos, músculos e tendões para suportar essa carga de impacto logo de cara.  Então, consultar um médico antes de começar é sempre bom, mas para quem já se lesionou é obrigatório.

A compra
Na hora de procurar um modelo minimalista muita gente fica em dúvida, sem entender direito o que define esse tipo de tênis. Por princípio, eles são bem menos estruturados, sem ou com pouco amortecimento e com uma sola praticamente plana. É o famoso drop zero: a diferença de altura da sola entre o antepé e o calcanhar é de quase zero milímetros. Basta pensar nos modelos tradicionais, que tem praticamente um “salto”. Quanto menor o drop, mais minimalista é o modelo. Veja abaixo o que levar em conta quando for comprar esse tipo de tênis:

1.    Drop baixo
Além de manter você mais próximo do chão, que é o objetivo da história, também ajuda a manter o arco do pé em uma posição mais natural.

2.   Flexibilidade
O pé naturalmente se movimenta em todas as direções e o tênis deve acompanhar esses movimentos.

3.   Antepé espaçoso
Se o dedão é comprimido pela estrutura do tênis, não consegue ajudar na estabilidade e na propulsão, comprometendo a movimentação natural do pé.

4.   Nem muito macio, nem muito grosso
O tênis deve proteger seus pés do asfalto (antigamente não tinha essa história, né?), mas ainda deve permitir que você consiga sentir por onde está pisando. Isso permite que o corpo receba os estímulos da corrida e se ajuste para executar o movimento de forma mais eficiente.

E aqui vai um teste saber se você está pronto para começar a usar tênis minimalistas. O vídeo mostra ainda exercícios para quem não se saiu bem no teste.

*Dá para colocar legendas em inglês abrindo o link no Youtube, na barra inferior, canto direito.

/ 219 Artigos

Julia Zanolli

Julia Zanolli começou a correr em nome do bom jornalismo quando foi trabalhar na revista Runner’s World sem entender nada do assunto. A obrigação virou curtição, mesmo depois de sair da revista. Se livrou do carro para poder andar a pé pela cidade, mas é fã assumida de esteira. Prefere falar de comida do que de nutrição e acha que ter tempo é muito melhor do que matá-lo.

2 Comentários

  1. @JoseAdolfo

    Quando sai no Mizuno Wave super macio para o Musha sem amortecimento só com a placa de estabilidade sofri com canelite e facite plantar. Fora as dores, os resultados vieram. Me senti muito mais rápido, com respostas imediatas e leve. Os incômodos passaram e não penso em voltar mais para os caros e confortáveis.
    http://www.acru.com.br

    Reply

Trackbacks & Pingbacks

  1. Amo Correr | Só quem corre sabe! Vibram Furoshiki: o tênis que abraça o pé - Amo Correr

Deixe seu comentário

* Campos obrigatórios. Seu e-mail não será publicado.